quarta-feira , 23 outubro 2019
Home / Destaque / ATRASO NA CONCLUSÃO E ENTREGA DE CASAS POPULARES EM PONTA PORÃ COLOCA “ONG PUXARARA” NA MIRA DE CPI E DA POLÍCIA

ATRASO NA CONCLUSÃO E ENTREGA DE CASAS POPULARES EM PONTA PORÃ COLOCA “ONG PUXARARA” NA MIRA DE CPI E DA POLÍCIA

Atraso na entrega por falta de conclusão de casas populares no bairro Jamil Saldanha Derzi em Ponta Porã e caso de policía diz vereador que pede CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar o caso.

O vereador Daniel Marques (MDB) lamenta que varias familias contempladas desde 2014 com as casas populares do bairro Jamil Saldanha Derzi, ainda se encontram a espera para ocupar as mesma, que deveria ser entregue pela “Ong Puxarara” do estado de São Paulo que recebeu o dinheiro do Governo Federal via a Caixa Econômica Federal para a construção e entrega das casas populares aos contemplados foi abandonada e os contemplados até o momento seguem vivendo em moradias precárias ou pagando aluguel a espera pela conclusão das obras pela “Ong Puxarara” do estado de São Paulo.

Os moradores compareceram ante o poder legislativo, onde receberam o apoio dos 17 vereadores de Ponta Porã que manifestaram que junto com o prefeito Hélio Peluffo Filho (PSDB) buscam uma solução para o problema deixado pela administração anterior, já o vereador Daniel Marques, lamentou que as famílias de escassos recursos econômicos tenham que passar por essa situação, que em seu ver e um caso de polícia, Daniel Marques ainda solicitou a instalação de uma CPI a fim de verificar o que foi feito com o dinheiro liberado pelo Governo Federal.

Na época a solenidade de assinatura dos contratos contou com a presença do gerente Regional da Caixa Econômica Federal no Estado, Paulo Cesar Neves de Matos; do gerente geral da Caixa de Ponta Porã, Aldair Rosa Freitas; da presidente da Agência de Habitação (Habiporã), Rosy Siqueira; do coordenador de relações institucionais, Reginaldo Almeida; do presidente da Associação Indígena Puxarara, Evódio Vargas, entre várias outras personalidades e hoje após cinco anos as mais de 300 famílias seguem a espera da conclusão de suas residências.

Comentário

Comentário

Veja Também

DOURADENSES ACABAM PRESOS DURANTE ATO SEXUAL EM RUA PRÓXIMO A IGREJA DA CIDADE

Douradenses são presos na tarde de terça-feira (22) em pleno ato sexual em uma das ...