segunda-feira , 11 novembro 2019
Home / Destaque / BETO PEREIRA VOTA CONTRA APOSENTADORIA ESPECIAL AOS POLICIAIS E SE AUSENTA SOBRE PROFESSORES

BETO PEREIRA VOTA CONTRA APOSENTADORIA ESPECIAL AOS POLICIAIS E SE AUSENTA SOBRE PROFESSORES

Além de aprovar o texto principal da Reforma da Previdência, o vice-líder do PSDB na Câmara, Beto Pereira, rejeitou a emenda que mantinha regras especiais aos profissionais da segurança pública. Já na proposta que garantia aposentadoria especial aos professores, o tucano se ausentou e não participou da votação, conforme o Congresso em Foco.

A Comissão Especial da Câmara dos Deputados aprovou, por 36 votos a 13, o texto principal da Reforma da Previdência. O deputado sul-mato-grossense votou a favor do relatório apresentado por Samuel Moreira (PSDB/SP).

Com exceção de Vander, deputados de MS aderem ao INSS para ter moral para votar reforma

Os destaques também foram votados ontem (4). Um destaque previa a criação de regras especiais para a concessão de aposentadoria aos policiais federais, rodoviários federais, bombeiros, policiais civis, agentes da Abin (Agência Brasileira de Inteligência), agentes penitenciários, agentes de trânsito, agentes socioeducativos, guardas municipais e PMs.

Beto Pereira votou contra a emenda, que previa aos agentes da segurança pública se aposentarem aos 55 anos e com 20 de contribuição, no caso dos homens, e aos 52 anos e 15 de contribuição, as mulheres. Eles ainda teriam direito ao salário integral.

Moreira argumentou que não há orçamento para viabilizar a mudança. “Esse destaque é a destruição da reforma”, afirmou o deputado paulista. A comissão manteve a meta do ministro da Economia, Paulo Guedes, de obter economia de R$ 1 trilhão em dez anos e ignorou até apelos do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que se manifestou a favor dos policiais.

A comissão rejeitou o destaque por 31 votos a 17. (Confira quem votou contra e a favor)

A Comissão Especial também rejeitou, por 30 votos a 18 (veja a relação aqui), a emenda que previa condições especiais aos professores e professoras. Beto Pereira não participou desta votação, conforme o Congresso em Foco.

A emenda do PL previa a concessão do benefício às mulheres somente com 25 anos de contribuição e aos homens, 30 anos. Eles ainda teriam direito à integralidade e paridade. O relatório aprovado prevê a aposentadoria aos 57 anos e com 25 de contribuição às mulheres e, aos 60 anos e 30 de contribuição, aos homens. Eles só deverão comprovar o efetivo exercício na educação infantil, ensino fundamental e médio.

“A questão do professor é ganhar melhor, é carga horária diferenciada, sala com menos de 30 alunos. Não adianta fazer ‘puxadinho’, não vai resolver a questão do professor, do aluno e do País dessa forma”, alegou o relator da proposta, Samuel Moreira. Ele frisou que o legislativo suavizou o texto encaminhado pelo Executivo.A rejeição da proposta na comissão não deve poupar os demais deputados do desgaste nas principais categorias do funcionalismo público. Deputados e partidos já anteciparam que vão reapresentar os destaques em plenário.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), planeja votar a Reforma da Previdência em duas turnos antes do recesso, previsto para o dia 18 deste mês.

Além de Beto Pereira, a bancada de Mato Grosso do Sul conta com mais sete parlamentares: Bia Cavassa e Rose Modesto, do PSDB; Luiz Ovando, o Dr.Ovando, e Loester Trutis, do PSL; Fábio Trad (PSD); Dagoberto Nogueira (PDT); e Vander Loubet (PT).

Fonte www.ojacare.com.br

Comentário

Comentário

Veja Também

PRF DESARTICULA QUADRILHA COM MAIS DE UMA TONELADA DE DROGA NO INTERIOR DO MS

Com uma operação que começou no final da manhã da ultima quinta feira (07) na ...