sexta-feira , 24 janeiro 2020
Home / Destaque / TESTEMUNHA DE VIOLENTA EXECUÇÃO DE ALEX ZIOLI E AMEAÇADA NA FRONTEIRA COM O MS E PROMOTORA DE JUSTIÇA UTILIZA MANOBRA PARA DESVIAR ATENÇÃO SOBRE HOMICIDIO

TESTEMUNHA DE VIOLENTA EXECUÇÃO DE ALEX ZIOLI E AMEAÇADA NA FRONTEIRA COM O MS E PROMOTORA DE JUSTIÇA UTILIZA MANOBRA PARA DESVIAR ATENÇÃO SOBRE HOMICIDIO

Testemunha chave que ajudou a desvendar violento crime na qual perdeu a vida estudante brasileiro na fronteira e ameaçada e polícia reforça segurança na residência da mesma e suspeitos são encaminhados ao presídio em Pedro Juan Caballero acusados por cárcere privado e desaparecimento de pessoa, situação que indica uma manobra da promotora de justiça Sandra Diaz para desviar a atenção sobre o violento homicídio, tortura e desmembramento do adolescente brasileiro de 14 anos no Paraguai.

Após os investigadores chegarem a uma testemunha chave que teria presenciado a execução violenta do estudante brasileiro Alex Zioli Areco Aquino (14) raptado, torturado e morto na madrugada do último dia 23 de novembro na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero, cujo corpo foi encontrado em um galão no último dia 05 nas proximidades do Rodoanel em Ponta Porã, segundo informações teria recebido supostas ameaças de parte dos suspeitos identificados como o brasileiro Genaro Lopes Martins, Diana Clavel Pimentel e o adolescente D.G. que na tarde de sábado (07) foram encaminhados por ordem do juiz Martin Areco a Penitenciaría Regional de Pedro Juan Caballero, acusados de cárcere privado e desaparecimento de pessoa, situação que deixa em evidência uma manobra da promotora de justiça a fim de não acusar os supostos autores no caso de homicidio.

Informações indicam que a residência da testemunha recebeu uma dotação policial que realiza a guarda 24 horas, após a mesma ter recebido uma ameaça a fim de que fique calada ou mude a sua versão, segundo os investigadores a mesma teria presenciado a ação do grupo que teria executado de forma brutal o adolescente e teria decidido colaborar com as autoridades brasileiras e posteriormente com as autoridades paraguaias, até o momento os altos chefes da Polícia Nacional do Paraguai em Pedro Juan Caballero não confirmaram a ameaça contra a testemunha, situação que deve ser confirmada durante uma coletiva a imprensa na segunda feira e indicar como a identidade da testemunha chegou ao conhecimento dos acusados pela execução.

Segundo o site MS em Foco, Alex foi executado a mando do brasileiro Genaro Lopes Martins, conhecido como Animal do PCC, depois de brigar com um cunhado do criminoso no banheiro da escola em que estudava, na cidade de Pedro Juan Caballero.

Após ser torturado por várias horas, o adolescente foi forçado a cavar a própria cova e morto com um tiro na cabeça. Todos os detalhes do crime foram encontrados nos celulares dos suspeitos presos.

Ele ainda teve o crânio destruído com golpes de pá e foi carbonizado. Dias depois, os restos mortais do jovem foram desenterrados, colocados em um tambor de plástico e deixado no rodoanel de Ponta Porã, ainda conforme apurado pela reportagem, o estudante foi “julgado”, torturado e executado pelo suspeito sem autorização de uma facção criminosa da qual seria integrante.

Após a prisão de Genaro Lopes vulgo “Animal”, os investigadores do SIG (Setor de Investigações Gerais) da Polícia Civil investigam a participação do mesmo na execução de Adolfo Gonçalves Camargo (31). Que na tarde do dia 16 de agosto deste ano por volta das 16:00hs, havia sido raptado de sua residência situado no bairro da Granja em Ponta Porã, por quatro homens fortemente armados a bordo de uma caminhonete tipo GM-S10, cor branca que após raptar a vitima teria se dirigido sentido a cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero e encontrado por volta das 19:00hs, quando populares alertaram a Polícia Militar do distrito de Sanga Puitã de que encontraram três bolsas de lixo contendo partes de corpo humano http://poranews.com/?p=42037, os investigadores ainda investigam o envolvimento de Genaro Lopes no desaparecimento do vendedor de joias Roney Fernandes Romeiro (35), que na manhã do dia 18 de agosto deste ano transitava pela avenida Presidente Vargas a bordo de um veiculo da marca VW-Gol, cor branca que foi fechado por indivíduos que transitavam a bordo de uma caminhonete da marca Toyota, modelo Hilux, sem placas e com fuzis em mãos desceram e raptaram o vendedor de joias na cidade de Ponta Porã de onde fugiram tomando rumo ignorado e a vítima até a data se encontra em paradeiro desconhecido http://poranews.com/?p=42071.

Comentário

Comentário

Veja Também

PEQUENOS PROVEDORES GANHAM ESPAÇO NO MERCADO DE TELECOM E ENTRAM NA MIRA DE GRANDES INVESTIDORES

Um dos segmentos que mais tem crescido dentro do mercado de telecomunicações é, sem dúvida, ...