domingo , 17 novembro 2019
Home / Destaque / OPERAÇÃO DA SENAD TIRA DE CIRCULAÇÃO “CHEFE EXECUTIVO” DO NARCOTRÁFICO E ELO ENTRE PCC E CV NO PARAGUAI

OPERAÇÃO DA SENAD TIRA DE CIRCULAÇÃO “CHEFE EXECUTIVO” DO NARCOTRÁFICO E ELO ENTRE PCC E CV NO PARAGUAI

Foragido da justiça brasileira e um paraguaio acabam presos durante operação simultânea de busca e apreensão da Secretaria Nacional Antidrogas na capital do Paraguai e em Pedro Juan Caballero na fronteira com o estado do Mato Grosso do Sul.

Os mesmo foram identificados como, Levi Adriani Felicio, foragido da justiça brasileira, preso na manha de segunda feira (14) na capital Assunção pelos agentes especiais da SENAD (Secretaria Nacional Antidrogas) durante busca e apreensão realizada na residência situada em um luxuoso bairro da capital, segundo a SENAD, foram apreendidas armas de grosso calibre, documentos, dinheiro, relógios de luxo, aparelhos de celulares e computadores, a busca e apreensão teria se dado em razão de que os serviços de inteligência da SENAD teriam detectado que Levi seria o principal elo de ligação com o PCC (Primeiro Comando da Capital) e o CV (Comando Vermelho) a quem fornecia armas e drogas e contava com três ordens de captura em território brasileiro, ainda segundo informações o mesmo se encontrava residindo na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero de onde neste mês teria se mudado a passou a viver na capital do Paraguai em uma residência situada no bairro Villa Morra, onde acabou preso nas primeiras horas da madrugada.

Os agentes especiais da SENAD ainda realizaram busca e apreensão na residência onde Levi se encontrava morando na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero, no local foi preso o paraguaio Marcio Gayoso (27) vulgo “Candonga” apontado como o braço direito de Levi na região de fronteira com o estado do Mato Grosso do Sul.

O ministro, Arnaldo Giuzzio, da SENAD manifestou que o brasileiro era um chefe executivo de alta periculosidade e perigoso pela que seria de vital importância a sua expulsão e entrega as autoridades brasileiras, manifestou Giuzzio.

Giuzzio disse ainda que a operação que identificou as ações e integrantes de apoio do PCC e CV no Paraguai era observada a aproximadamente um ano, situação que evidenciou que o paraguaio Gayoso ocupava um lugar importante na estrutura criminal, onde era o responsável pela liberação das rotas, assim como das cargas e em cumprir as ordens de Levi que vivia entre a capital do Paraguai e a cidade de Pedro Juan Caballero.

Comentário

Comentário

Veja Também

POLICIAL MILITAR FICA GRAVEMENTE FERIDO DURANTE PERSEGUIÇÃO EM PONTA PORÃ

Soldado da Polícia Militar de Ponta Porã do GETAM (Grupamento Tático de Motos) identificado como ...