domingo , 15 dezembro 2019
Home / Destaque / PONTA PORÃ EM ESTADO DE ALERTA CONTRA O MOSQUITO DO AEDES AEGYPTI

PONTA PORÃ EM ESTADO DE ALERTA CONTRA O MOSQUITO DO AEDES AEGYPTI

O Prefeito de Ponta Porã, Ludimar Novais (PDT), no uso de suas atribuições legais através do decreto nº 7.252 de 11 de janeiro de 2016 decretou “Estado de Alerta contra o mosquito Aedes Aegypti transmissor de dengue, chikungunya e Zika Virus.

Segundo o decreto, os munícipes e aos responsáveis pelos estabelecimentos edificados ou não, publico, privado ou mistos, compete a adoção de todas as medidas necessárias à manutenção de suas propriedades limpas, sem acúmulo de lixo e de materiais inservíveis, de modo a evitar o surgimento de condições que propiciem a instalação, manutenção e a proliferação do mosquito causador das três doenças

Já os Agentes de Combates às Endemias ficam autorizados a adentrar nos imóveis que se encontram abandonados por seus proprietários, no intuito de ampliar a eficácia das medidas a serem adotadas, garantir a saúde pública e evitar o alastramento da doença, podendo, para tanto, utilizar os mecanismos que se fizerem necessários para consecução dos fins propostos no decreto.

Medidas para contenção da doença

Em casos extremos, o Poder Executivo Municipal promoverá ações de polícia administrativa, visando impedir hábitos e práticas que exponham a população ao risco de contrair doenças relacionadas ao mosquito transmissor da dengue, chikungunya ou Zica Vírus, solicitando auxilio e apoio das forças policiais.

Os agentes de saúde e endemias poderão ingressar compulsoriamente em imóveis particulares e públicos nos casos de recusa ou de ausência de pessoa que possa abrir a porta para o Agente de Vigilância em Saúde quando se fizer necessário.

Criadouros dentro de residências e terrenos baldios

Os Agentes de Saúde dentro das residências poderão inviabilizar, apreender e destinar materiais que possam contribuir com potenciais criadouros que representem risco á saúde pública. As imobiliárias ficam obrigadas a permitirem o acesso aos agentes sanitários para vistorias nos imóveis sob responsabilidade destes. Os proprietários de terrenos têm a obrigatoriedade de manterem os mesmos limpos, ficando a administração pública autorizada a promover a limpeza dos terrenos independente de notificação prévia sem prejuízo da responsabilização dos proprietários pela indenização pelo serviço prestado, bem como as penalidades impostas na lei.

Apoio do Exército

O 11º RC MEC disponibilizou logística e soldados para apoiar e acompanhar os agentes de saúde durante inspeção nas moradias.

Comentário

Comentário

Veja Também

GOLPE DA VENDA DE VEÍCULOS NAS REDES SOCIAIS ENTRA NA MIRA DA POLÍCIA EM PONTA PORÃ

Golpe da venda de veículos pelas redes sociais faz novas vitimas e policia cria força ...

Deixe uma resposta