domingo , 15 dezembro 2019
Home / Destaque / CONCURSO PARA POLICIA JUDICIARIA E AUTORIZADA APÓS REIVINDICAÇÃO DO SINPOL

CONCURSO PARA POLICIA JUDICIARIA E AUTORIZADA APÓS REIVINDICAÇÃO DO SINPOL

Atendendo a reivindicação da categoria, o governo estadual autorizou a realização de Concurso Público de Provas e Títulos para provimento dos cargos de Agente de Polícia Judiciária, para as funções de Escrivão de Polícia Judiciária e de Investigador de Polícia Judiciária. A medida visa reduzir o déficit atual de 620 servidores nestas funções.

Segundo o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do MS (Sinpol-MS), Giancarlo Miranda, o maior déficit está na função de escrivão. “Atualmente há 360 escrivães no Mato Grosso do Sul, o que não supre a necessidade de cerca de 600 em todo o Estado. É necessário aumentar o efetivo, mas também dar condições de trabalho ao policial civil com investimento no servidor e na infraestrutura”, destacou Giancarlo.

A Polícia Civil também apresenta déficit de 227 para os cargos de Agente de Polícia Científica e de 90 vagas para o de Perito Papiloscopista. “A Lei Orgânica da Polícia Civil estima que são necessários 300 Agentes de Polícia Científica, contudo hoje há somente 73. Sabemos que a Polícia Civil precisa de muito mais efetivo, pois quando esta estimativa foi feita, em 2005, a população do estado era menor”, afirmou o presidente.

As funções

Veja abaixo um resumo das atribuições das funções:

Escrivão: autuar, movimentar e participar na formação de inquéritos policiais, Termo Circunstanciado de Ocorrência, Auto de Prisão em Flagrante, procedimentos especiais e administrativos, os atos de sua competência e demais autos procedimentais sob a presidência de autoridade policial; participar do levantamento de local de crime e orientar a execução de trabalhos relacionados a coleta de provas e produção de fotografias.

Investigador: registrar o boletim de ocorrências e, mediante determinação da autoridade policial, às diligências e investigações policiais com o fim de coletar provas para a elucidação de infrações penais e respectivas autorias, visando à instrução dos procedimentos legais, apresentando relatório de investigação circunstanciado; efetuar prisão em flagrante ou cumprir mandados expedidos pela autoridade policial ou judiciária competente; participar de levantamento em local de crime e interagir na execução de trabalhos relacionados à coleta de provas e produção de fotografias, inclusive reproduções e ampliações, em locais de infrações penais, onde quer que se faça necessário o emprego das técnicas nas investigações policiais, bem como concorrer na preservação do local.

Comentário

Comentário

Veja Também

GOLPE DA VENDA DE VEÍCULOS NAS REDES SOCIAIS ENTRA NA MIRA DA POLÍCIA EM PONTA PORÃ

Golpe da venda de veículos pelas redes sociais faz novas vitimas e policia cria força ...

Deixe uma resposta