terça-feira , 16 julho 2019
Home / Destaque / COORDENADORA DO PARLAMENTO FEMININO DE FRONTEIRA PARTICIPA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA NO SENADO

COORDENADORA DO PARLAMENTO FEMININO DE FRONTEIRA PARTICIPA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA NO SENADO

A convite do senador Nelsinho Trad (PSD), a coordenadora do Parlamento Feminino de Fronteira, vereadora Anny Espinola (PSDB), participou na quinta-feira (11), da Audiência Pública sobre violência contra a mulher no Senado Federal.

Anny Espinola em seu pronunciamento, agradeceu os senadores Nelsinho Trad, Espiridião Amim e Marcos Val além da Secretária de Estado de Cidadania, Luciana Azambuja e ao Governador Reinaldo Azambuja pelo apoio na luta contra a violência contra a mulher no estado do Mato Grosso do Sul e na região de fronteira.
Segundo a vereadora, as violências de gênero registradas na fronteira, não são diferentes de outras localidades do Brasil e dos países vizinhos.
Anny pontuou que as particularidades da região de fronteira favorecem a impunidade e a fuga de quem comete crimes na fronteira. Para se combater a impunidade, na visão da vereadora, é necessário planejar e executar ações conjuntas, envolvendo o esforço da sociedade, autoridades, empresas privadas, instituições públicas, num trabalho gigantesco que tem como primeiro objetivo informar à vítima de violência, que ela não está sozinha e criar mecanismos que permitam ao Estado combater este tipo de violência.

O Parlamento feminino de fronteira é composto por vereadoras de 18 municípios da região de fronteira. São eles: Ponta Porã, Amambai, Antônio João, Aral Moreira, Bela Vista, Caracol, Coronel Sapucaia, Iguatemi, Tacuru, Sete Quedas, Mundo Novo, Eldorado, Japorã, Ladário, Laguna Carapã, Paranhos, Porto Murtinho e Corumbá.
Desde o início de seu mandato, em 2017, Anny realiza audiências públicas promovendo o debate sobre o assunto e tem ganhado o apoio das autoridades paraguaias e brasileiras.

Fonte Markon Machado

Comentário

Comentário

Veja Também

FAMÍLIAS SE REENCONTRAM APÓS 50 ANOS SEPARADOS COM APOIO E AJUDA DE VEREADORES DE PONTA PORÃ

Famílias se reúnem após 50 anos sem ter contato com apoio e ajuda de vereadores ...