domingo , 21 abril 2019
Home / Destaque / SEGUNDO ASSESSORA DE COMUNICAÇÃO, COM GESTÃO DO INSTITUTO ACQUA, HR DE PONTA PORÃ RETOMA SERVIÇOS E REALIZA MUTIRÃO DE CIRURGIAS ELETIVAS

SEGUNDO ASSESSORA DE COMUNICAÇÃO, COM GESTÃO DO INSTITUTO ACQUA, HR DE PONTA PORÃ RETOMA SERVIÇOS E REALIZA MUTIRÃO DE CIRURGIAS ELETIVAS

Segundo assessora de comunicação do Hospital Regional Dr. José de Simone Netto, em Ponta Porã, reativou nesta semana duas salas cirúrgicas e reabilitou dois leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) que estavam sem pacientes por falta de manutenção. Com as salas de cirurgias em pleno funcionamento será realizado neste mês um mutirão de cirurgias eletivas. A previsão é que sejam operados mais de 70 pacientes que aguardam na fila de espera. Também foi incorporado no quadro de médicos do hospital, um cirurgião vascular, que realizará cirurgias vasculares e gerais. A partir deste mês a unidade também contará com os exames de endoscopia e colonoscopia.

O Instituto Acqua, que assumiu a gestão do hospital em (29/03), em apenas uma semana já reativou os serviços e liberou a folha de pagamento dos funcionários referente aos três dias trabalhados. O novo diretor geral do hospital, Demetrius Pareja, ressalta que transparência e honestidade são prioridades da gestão. “Chegamos com uma filosofia de transparência e efetividade, nossa prioridade é executar o trabalho com qualidade, a auditoria do Estado está nos acompanhando passo a passo em todas as reorganizações dos serviços. Nesta semana já conseguimos colocar em funcionamento mais duas salas cirúrgicas que estavam inativas, realizamos manutenção e também reativamos dois leitos da UTI e contratamos um cirurgião vascular. Uma equipe está organizando o fluxo das cirurgias e entrará em contato com os pacientes que estavam na fila de espera para darmos andamento ao mutirão de eletivas”, disse.

Com as salas cirúrgicas reativadas, será iniciado o mutirão de cirurgias para 76 pacientes que aguardavam pelos procedimentos de vesícula, hérnia, laqueadura e cirurgias ginecológicas. A previsão é que também iniciem neste mês as cirurgias vasculares.

Estrutura – A unidade é referência de atendimento para os oito municípios da microrregião de Ponta Porã (Amambaí, Antônio João, Aral Moreira, Coronel Sapucaia, Paranhos, Ponta Porã, Sete Quedas e Tacuru). Com 107 leitos, oferece atendimento de urgência e emergência, ambulatorial, internação nas especialidades de clínica médica, cirúrgica, gineco-obstétrica, pediátrica, ortopédica e UTI adulto. Possui, ainda, ampla estrutura de apoio diagnóstico e terapêutico. A atenção à saúde oferecida envolve assistência humanizada, integral e contínua, acolhimento dos pacientes com uso de protocolo de classificação de risco, além de equipe multiprofissional.

Sobre o Instituto Acqua – O Instituto Acqua é uma Organização Social (OS) sem fins lucrativos com sede em Santo André, Região Metropolitana de São Paulo. Com 20 anos de história, atua na área de saúde pública e privada em todo o território nacional. A Gestão de Projetos é considerada um marco de excelência.
Somente em São Luís (MA), o Acqua faz gestão do Hospital Dr. Carlos Macieira (que é referência estadual em atendimentos de alta complexidade no Maranhão), da Maternidade Nossa Senhora da Penha, Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão, Maternidade Benedito Leite, do Hospital Infantil Dr. Juvêncio Mattos, do Centro de Referência em Neurodesenvolvimento, Assistência e Reabilitação de Crianças (Ninar) e da Casa de Apoio Ninar, além da Unidade de Especialidades Odontológicas – Sorrir. No interior do Maranhão, atua frente ao Hospital Regional de Balsas, Hospital Dr. Jackson Lago, Macrorregional Tomás Martins, além da maternidade Humberto Coutinho. Também administra três UPAs e um Centro de Reabilitação na Paraíba e outras iniciativas de Saúde, Cultura, Educação e Sustentabilidade em São Paulo.

Comentário

Comentário

Veja Também

PMR APREENDE CARGA DE MACONHA NA MS 156 E ENCAMINHA DOIS A DELEGACIA DE POLÍCIA

Policiais Militares Rodoviários da Base Operacional de Amambai realizavam patrulhamento na MS 156, quando por ...