sexta-feira , 14 dezembro 2018
Home / Destaque / CHUVA DEIXA RASTRO DE ESTRAGOS EM BAIRROS DE PONTA PORÃ

CHUVA DEIXA RASTRO DE ESTRAGOS EM BAIRROS DE PONTA PORÃ

A forte e pesada chuva registrada no início da tarde de quinta-feira, por volta de 14:45hs, deixou rastro de estragos em diversas regiões de Ponta Porã. Consequência da obra na região do bairro Jardim Alegrete danificou trecho da rua Ladário, obra de drenagem e ponte interligando a região dos Ipês ao centro da cidade pelo bairro São Vicente de Paula.

Segundo as autoridades, a chuva rápida e pesada acima dos 58 milímetros em poucos minutos, fez transbordar o córrego São João Mirim e causou erosão nas cabeceiras  da ponte localizada no acesso ao bairro São Vicente de Paula. Sem apoio, o asfalto cedeu e a via precisou ser interditada no final da tarde de pela Prefeitura Municipal.

O prefeito Hélio Peluffo Filho (PSDB) visitou o local e determinou a realização de obras de emergência na ponte para restabelecer mais rapidamente possível a normalidade do tráfego.  Com o transbordamento do córrego, a água carregou o material do aterro que dava suporte para o asfalto e a pista cedeu.

Os estragos aconteceram em vários pontos da cidade, mobilizando as equipes de manutenção da Prefeitura. Nessa época do ano é comum fortes precipitações em poucos minutos, gerando alagamentos por conta da incapacidade da rede de drenagem para escoar a água que se acumula e corre uma maior força.

A conclusão das obras de drenagem no Bairro Alegrete que a Prefeitura está executando vão ajudar a diminuir o fluxo de água e amenizar a complicação com as inundações.

Imediatamente com a constatação da forte chuva, o prefeito Hélio Peluffo acionou a Defesa Civil, a secretaria de Segurança Pública e Obras e Urbanismo com os estragos registrados. Além da rua Ladário, as obras de drenagem na rua Coronel Camisão executadas para desafogar o acúmulo d´água na rua 7 de Setembro, na altura do Ponta Porã Tênis Clube, também sofreram consideráveis avarias.

O prefeito Hélio Peluffo ainda determinou a contratação emergencial de obras para recuperar os estragos. Além das ruas Ladário e Coronel Camisão, na rua Comandante Cardoso o excessivo volume de água também preocupa, mas sem maiores riscos. O prefeito Hélio solicitou que a Defesa Civil permaneça de prontidão, pois a previsão é de que a chuva continue pelo menos até domingo em maior densidade.

Na região do bairro Jardim Alegrete, as obras de drenagem em andamento impactaram na impermeabilidade do solo, dificultando a sucção das águas das chuvas. Com a forte chuva de ontem em um curto espaço de tempo, o excessivo volume d´água percorreu outras vias, chegando até a parte baixa, correndo pela rua Agudos e seguindo para a rua Ladário, cuja parede de contenção não suportou, cedendo em um pequeno trecho do asfalto.

Ainda na sexta-feira, 30, por determinação do prefeito Hélio Peluffo, será feita a concorrência emergencial para contratação de empresas para que a obra seja iniciada de forma imediata.

Após visitar os locais o prefeito reuniu-se com os secretários de Obras e Urbanismo, André Manosso, Dr. Ricardo Soares (Procuradoria Jurídica) Marcelino Nunes (Segurança Pública) e o jornalista Leo Veras para tomar as primeiras medidas em relação aos estragos provocados pela forte chuva registrada em toda a região e comunicar a população da atual situação dos locais afetados assim como das medidas imediatas que foram tomadas.

Os locais afetados foram rapidamente sinalizados por integrantes da Secretaria Municipal de Segurança Pública a fim de evitar algum tipo de acidente, pela que o prefeito instou aos condutores de veículos e motocicletas a respeitar as sinalizações.

Um dos maiores estragos por conta das fortes chuvas, aconteceu em Campo Grande, no mês de dezembro de 2009, quanto parte do aterro sobre o córrego Prosa na avenida Ceará desmoronou quase em frente da Universidade Uniderp, abrindo um buraco de com cerca de  dez metros de profundidade e ao menos vinte de diâmetro. Bocas de lobo e calçada foram tragadas, interditando a pista por meses.

Em Naviraí, a Vila Paraíso quase foi tragada pela erosão causada pelas chuvas quatro anos atrás.

Comentário

Comentário

Veja Também

ADOLESCENTE BRASILEIRO E DETIDO A BORDO DE VEICULO ROUBADO TRANSPORTANDO CARGA DE MACONHA NA FRONTEIRA

Adolescente brasileiro e detido pela polícia paraguaia transportando carga de maconha na região de fronteira com ...