sexta-feira , 14 dezembro 2018
Home / Destaque / ADMINISTRAÇÃO DO HOSPITAL REGIONAL DE PONTA PORÃ NA MIRA DE COMISSÃO ESPECIAL PARLAMENTAR

ADMINISTRAÇÃO DO HOSPITAL REGIONAL DE PONTA PORÃ NA MIRA DE COMISSÃO ESPECIAL PARLAMENTAR

Após várias mortes, maus atendimentos, demora e atrasos nos pagamentos a fornecedores e pessoal de branco, vereadores da Câmara Municipal de Ponta Porã preparam Comissão Especial com poderes de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar reclamações e fatos que ocorrem no Hospital Regional.

Os últimos acontecimentos colocaram o Instituto Gerir, administradora do Hospital Regional de Ponta Porã, no olho do furacão e em rota de colisão com a população e os integrantes do Legislativo, que tomaram cartas no assunto após a população cobrar um posicionamento dos mesmos em relação ao mau atendimento, demora na atenção médica, mortes sem explicações, atrasos de pagamento aos fornecedores e pessoal de branco, mesmo recebendo milionário investimento do governo do Mato Grosso do Sul em Ponta Porã, onde os vereadores após varias reuniões com o executivo municipal, decidiram pela criação de uma Comissão especial que verificará como está sendo gasto o dinheiro público, a razão da demora no atendimento, assim como a verificação dos laudos dos pacientes que faleceram no local e a situação dos pagamentos dos fornecedores de produtos e o salário do pessoal de branco que atuam no Hospital Regional da cidade.

A situação critica, segundo informações, bateu as portas do gabinete do Governador reeleito Reinaldo Azambuja (PSDB) que não teve outra saída que apoiar a criação da Comissão Especial, já que a CPI não poderia ser criada pelos vereadores em razão do contrato do Instituto Gerir ser com o governo do estado, mas a Comissão especial terá poderes de uma CPI o que mantém o Instituto Gerir com as malas prontas as portas de um rompimento de contrato milionário tendo no dia 26 de outubro outorgada um novo aditivo pelo valor de 16,8 milhões, o contrato inicial foi assinado com a Gerir em agosto de 2016, com validade de 60 meses. A publicação do aditivo que já e o 3º termo aditivo ao contrato, desde que assinou contrato com o governo, o Instituto já recebeu cerca de R$ 63 milhões do governo estadual, sendo R$ 8,3 milhões, em 2016, R$ 27 milhões, em 2017, e até, esta sexta-feira, 26 de outubro de 2018, mais R$ 27,9 milhões, segundo dados do Portal de Transparência da administração Reinaldo Azambuja (PSDB), a este milionário contrato ainda deve ser somada o apoio da prefeitura municipal de Ponta Porã.

A criação da Comissão Especial espera a assinatura do atual presidente da Câmara Municipal de Ponta Porã para que a mesma seja composta por cinco vereadores que durante o decorrer das investigações apresentará a população os resultados e possivelmente indicará ao governo do estado a inviabilidade do Instituto Gerir seguir administrando o Hospital Regional após perder a confiança das autoridades e da população.

Veja também http://poranews.com/?p=33453

Comentário

Comentário

Veja Também

ADOLESCENTE BRASILEIRO E DETIDO A BORDO DE VEICULO ROUBADO TRANSPORTANDO CARGA DE MACONHA NA FRONTEIRA

Adolescente brasileiro e detido pela polícia paraguaia transportando carga de maconha na região de fronteira com ...