domingo , 16 dezembro 2018
Home / Destaque / DEBATE ENTRE CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA OAB/MS É MARCADO POR AUSÊNCIA DE ATUAL PRESIDENTE

DEBATE ENTRE CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA OAB/MS É MARCADO POR AUSÊNCIA DE ATUAL PRESIDENTE

O Centro Acadêmico Roberto Fauri, do curso de Direito da Uniderp, promoveu debate entre os candidatos à presidência da OAB/MS nesta segunda-feira (05).

O presidente da OAB/MS e candidato à reeleição Mansour Karmouche não compareceu ao evento, mesmo confirmando sua presença algumas horas antes.  Apenas Rachel Magrini, da chapa Renova OAB, e Jully Heyder, que teve o nome da chapa “Tempo de Ordem” suspenso por decisão do Conselho Federal, participaram.

A candidata Rachel Magrini, da chapa RENOVA OAB, criticou a ausência do candidato, que havia confirmado sua presença e não apareceu no debate.

“Todos temos compromissos e agendas e estamos aqui por respeito à comunidade acadêmica e à sociedade. O atual presidente mostra que sua agenda parece ser mais importante que dos demais”.

Rachel apresentou suas propostas para os vários nichos de advocacia no Estado e ressaltou que a chapa RENOVA OAB tem mais de 350 membros, a maior já formada, para contemplar vários municípios e diversos ramos da advocacia sul-mato-grossense.

Os “Novos Advogados”, aqueles com até cinco anos de exercício profissional, serão representados pelo Conselho da Nova Advocacia, órgão que será criado regimentalmente e será implantado no início de sua gestão.

Rachel também tratou do respeito às prerrogativas e que os desagravos são ferramentas importantes para o respeito da profissão. “Vamos trabalhar para que os desagravos sejam registrados nas fichas profissionais de quem desrespeitou algum advogado”.

“Chegamos ao ponto onde o advogado é ofendido e a OAB leva anos para realizar o desagravo. E quando responde, o desagravo é realizado nas dependências da OAB, longe da autoridade que desrespeitou as prerrogativas”, destaca.

Também foi detalhado o plano de criar, na primeira semana de janeiro de 2019, a Comissão de Combate à Morosidade, que irá atuar diretamente nos processos que ficam represados. “Realizamos o Referendo em 2011 e vamos refazer esta pesquisa, tão importante para diagnosticar os gargalos que o advogado enfrenta em sua lida diária”.

Rachel também tratou da questão do piso salarial, que estaria sendo ignorado no mercado de trabalho. “Recebemos denúncias e reclamações de advogados sobre empregadores que preferem contratar bacharéis, os chamados ‘paralegal’, para exercer funções típicas da advocacia e assim não ter de cumprir o piso salarial”, explica.

A eleição será realizada no dia 20 de novembro. A OAB/MS tem cerca de 15 mil advogados inscritos.

www.rachelmagrini.com.br

Fonte Denis Matos – Hasta Comunicação

Comentário

Comentário

Veja Também

VEREADOR CANDINHO GABÍNIO E REELEITO A PRESIDÊNCIA DA CÂMARA DE VEREADORES DE PONTA PORÃ

O vereador Candinho Gabínio (PSDB), foi reeleito para a Presidência da Câmara Municipal de Ponta ...