terça-feira , 21 agosto 2018
Home / Destaque / CONCURSO DA PM ATRAI INVESTIMENTOS E IMPACTA ECONOMIA DO MS

CONCURSO DA PM ATRAI INVESTIMENTOS E IMPACTA ECONOMIA DO MS

No próximo domingo a realização do concurso para Polícia Militar mobilizará um total de aproximadamente 40 mil pessoas em Mato Grosso do Sul. É a segunda vez, em um intervalo de menos de um ano, que Estado bate recorde de inscrições em um concurso público.

E a alta procura tem se mostrado relevante não só para os órgãos que qualificam seu quadro de servidores atraindo candidatos com melhores classificações, mas também para as cidades que sediam as provas, tendo em vista o volume de recursos movimentados pelos concurseiros.

Somente em relação ao concurso da PM, de acordo com dados da Fundação de Apoio à Pesquisa ao Ensino e à Cultura de Mato Grosso do Sul (Fapems), um total de 17 mil pessoas irá se deslocar de suas cidades originárias para realizar a prova, 9 mil delas vindas de outros Estados. Além dos custos diretos na realização do concurso, como no pagamento das inscrições, a maior parte dos candidatos também necessitará investir em itens como hospedagem, alimentação e deslocamento, o que transforma um concurso deste porte em um grande movimentador de recursos para o Estado, especialmente nas cidades de Campo Grande e Dourados, onde as provas serão aplicadas.

De acordo com a pesquisa Preço Médio Refeição, realizada pela Associação Brasileira das Empresas de Benefícios ao Trabalhador (ABBT) em 2017, o preço estimado para cada refeição consumida em Campo Grande é de R$ 26. Já a média de preço para hospedagem, segundo dados atualizados da Trivago (também usando a capital como referência) é de R$170. Considerando a estimativa da Fapems – de que pelo menos 80% dos candidatos que se deslocam de suas cidades fazem uso da rede hoteleira e de restaurantes –, somente nestes dois itens a expectativa de movimentação financeira no dia da prova gira em torno de R$ 3 milhões. Montante que não inclui o que será consumido em turismo, lazer, compras e demais despesas, ou os candidatos que, mesmo morando em Campo ou Dourados, terão despesas extras em decorrência da prova.

O aumento na busca por concursos, de acordo com o presidente da Associação Nacional de Proteção e Apoio aos Concursos (Anpac), Marco Antonio Araújo Jr, é um dos reflexos do cenário de crise financeira vivido pelo Brasil nos últimos anos. Para ele, o momento conturbado na economia aumenta o interesse das pessoas em buscar, no concurso, a estabilidade financeira e a projeção profissional que almejam. “Um dos principais desafios da crise é a falta de emprego e nesse contexto nós temos o sujeito que estava colocado no mercado de trabalho e foi demitido, e aquele que estava fora do mercado e não consegue colocação. Para ambos, os concursos passam a ser vistos como boas alternativas profissionais”, diz Araújo.

O diretor da Anpac explica ainda que nos 10 últimos anos diversas pesquisas apontam que o salário médio no setor público é maior do que no privado, o que, somado à estabilidade, acaba aumentando a procura não só por parte daqueles que já têm perfil para a área, mas também por parte daqueles que passam a enxergar o serviço público como uma boa opção de carreira.

Concurso PM

Em Campo Grande, as provas do concurso no próximo domingo serão aplicadas na Anhanguera-Uniderp, local que receberá o maior contingente de candidatos, UCDB, Uniderp Agrárias, Anhanguera e Unigran. Já em Dourados as aplicações ocorrerão na Unigran e na UFGD (Cidade Universitária).

A organização do concurso recomenda aos candidatos que cheguem antecipadamente aos locais de prova, evitando transtornos com o trânsito que tradicionalmente se intensifica nos momentos anteriores ao fechamento dos portões.

Fonte Emmanuelly Castro dos Santos

Comentário

Comentário

Veja Também

PREFEITURA DE PONTA PORÃ, PROCON E ACEPP LANÇAM CAMPANHA SAIA DO SUFOCO

A Prefeitura de Ponta Porã, por intermédio do Procon de 30 e 31 de agosto ...