terça-feira , 16 outubro 2018
Home / Destaque / VEREADOR DIZ “E TRISTE VER QUE A VIDA NÃO E UMA PRIORIDADE” ANTE POSSÍVEL CRISE NO HR DE PONTA PORÃ

VEREADOR DIZ “E TRISTE VER QUE A VIDA NÃO E UMA PRIORIDADE” ANTE POSSÍVEL CRISE NO HR DE PONTA PORÃ

Caos no Hospital Regional de Ponta Porã ante constantes atrasos no pagamento a funcionários e manutenção das unidades evidencia falta de compromisso e preocupação das autoridades do município e do estado com a população.

Pacientes internados no Hospital Regional da cidade de Ponta Porã enfrentam em meio a uma grave crise entre o governo do estado e o Grupo Gerir que administra o hospital da cidade, onde segundo informações a mesma não estaria realizando o pagamento em dia aos funcionários e fornecedores de serviço pela que varias empresas prestadoras de serviço teriam optado pela rescisão do contrato, o que levaria inevitavelmente ao hospital a não ter condições de realizar os atendimentos necessários a população.

A paralização da ala de UTI gerou caos no hospital, onde pacientes tiveram que esperar que a Central de Regulação disponibilize a transferência a hospitais de outras cidades, pela que tiveram que enfrentar outra situação caótica pela falta de ambulância para o transporte, a situação a cada dia evidencia a falta de compromisso e a preocupação com a população das autoridades do município e do estado do Mato Grosso do Sul, que pouco ou nada tem feito a fim de melhorar a qualidade no atendimento aos moradores da cidade que necessitam de atendimento medico em um hospital, que segundo o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) seria modelo para o estado, entregue em uma parceria ao Grupo Gerir após equipado com equipamentos médicos de ultima geração pelo ex-prefeito Ludimar Novais (PDT), mas passado um ano as autoridades esqueceram de seu compromisso com a população e o Grupo Gerir que estaria administrando o hospital com atrasos no pagamento pela que estaria perdendo colaboradores.

A assessoria de imprensa do Grupo Gerir ate o momento não se manifestou a respeito da paralização da UTI e das rescisões contratuais com as prestadoras de serviço na unidade hospitalar de Ponta Porã.

O vereador Otaviano Cardoso (PSDB) manifestou a existência de vários funcionários com disposição de trabalhar pela população de Ponta Porã, mesmo ganhando um salario considerado baixo e ainda com atraso, “e triste ver que a vida não e uma prioridade” manifestou Otaviano Cardoso que pontualizou que vai continuar lutando e cobrando o que e de direito da População.

Comentário

Comentário

Veja Também

DONA DE BAR É PRESA POR PROSTITUIR ADOLESCENTE NA FRONTEIRA

Dona de um bar em Bela Vista foi presa suspeita de explorar sexualmente uma adolescente ...