quinta-feira , 21 junho 2018
Home / Destaque / GOVERNADOR DECRETA SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA E ATO POPULAR EM PROL DA INTERVENÇÃO MILITAR AUMENTA NO MS

GOVERNADOR DECRETA SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA E ATO POPULAR EM PROL DA INTERVENÇÃO MILITAR AUMENTA NO MS

O governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), decretou situação de emergência em Mato Grosso do Sul, devido à crise de abastecimento gerada pela greve dos caminhoneiros. O decreto deve ser publicado em edição extra do Diário do Estado na terça-feira (29) e movimento em prol da intervenção militar aumenta no estado.

O decreto cria o Comitê de Gerenciamento de Crise, que poderá “propor a adoção medidas preventivas ou reparadoras, administrativas ou judicias”, para evitar a interrupção de serviços públicos no Estado.

Segundo a publicação, o Comitê deve garantir a manutenção de serviços de segurança, saúde, educação, tratamento e abastecimento de água, distribuição de energia, gás e combustíveis, controle sanitário, coleta de lixo e transporte público, além da distribuição e comercialização de alimentação e medicamentos.

O decreto também autoriza a mobilização das forças de segurança, como Polícia Militar, Civil e Corpo de Bombeiros, para “garantia da livre circulação dos meios de transporte necessários à distribuição de gêneros de primeira necessidade”.

Ainda conforme o decreto, o Comitê deverá identificar situações emergenciais e fica autorizado a realocar recursos orçamentários para custeio das ações de proposta, seja pelo “fornecimento de bens” ou por “prestação de serviços”.

Por fim, o grupo também poderá reavaliar isolar “áreas de risco” do sistema viário para evitar prejuízos com os bloqueios, definindo rotas alternativas e disponibilizando equipes técnicas de sinalização.

O decreto foi assinado pelo governador Reinaldo Azambuja e pelo secretário de Estado de Governo, Eduardo Riedel. A assinatura das medidas de emergência foi divulgada pelo deputado Beto Pereira (PSDB), durante sessão na Assembleia Legislativa.

Durante reunião na Assembleia, também com a presença do deputado Junior Mochi (MDB), o governo anunciou também a redução de 17% para 12% da alíquota de ICMS do diesel, como resposta às reivindicações dos caminhoneiros que protestam desde o dia 21 de maio.

Fonte Midiamax.com.br

Comentário

Comentário

Veja Também

VÍDEO DE ALUNOS FAZENDO SEXO CAUSA POLÊMICA EM MATO GROSSO DO SUL

Vídeo de dois alunos fazendo sexo oral dentro de ônibus escolar rural de Três Lagoas ...