terça-feira , 18 dezembro 2018
Home / Política / PREFEITO DE PONTA PORÃ NÃO CUMPRE LEI E COLOCA EDUCAÇÃO EM CRISE

PREFEITO DE PONTA PORÃ NÃO CUMPRE LEI E COLOCA EDUCAÇÃO EM CRISE

Durante assembleia realizada na segunda-feira, 07, na sede do sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação de Ponta Porã, SIMTED, os profissionais em Educação do município deliberaram por iniciar-se greve geral na Rede Municipal de Ensino (REME) à partir de sexta-feira, 11.

 Na última sexta-feira, representantes da administração municipal convocaram o SIMTED para anunciar que não Ponta Porã não pretende cumprir a lei federal do Piso Nacional que define aumento mínimo de 6,81% para os trabalhadores em Educação.

Na manhã desta terça-feira, o SIMTED deve comunicar o Prefeito da decisão da classe e iniciar greve inicial de 20 dias em 72h.

Apoio da FETEMS

A Federação estadual dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul declarou imediato apoio a decisão dos trabalhadores da Rede Municipal de Ponta Porã. Presente na Assembleia, o Presidente Jaime Teixeira advertiu: “Para a greve ser legal, o SIMTED de Ponta Porã estará publicando o edital e a FETEMS está junto nesta luta em defesa dos direitos e da valorização dos/as Profissionais em Educação”.

Apoio da Câmara de Vereadores

Na mesma assembleia, os professores e administrativos enfatizaram a necessidade do apoio do Legislativo Municipal de Ponta Porã.

Um projeto de autoria do executivo municipal está sendo encaminhado para a Câmara em regime de urgência para ser votar uma reposição salarial linear de apenas 3% para todos os servidores municipais.

Os professores solicitam que o projeto seja alterado e o aumento seja oferecido àqueles trabalhadores de setores que aceitam a proposta de 3% e que outro projeto seja encaminhado especificamente para os Servidores da Educação onde a contemple-se a reposição salarial de 6,81% segundo a lei do piso nacional.

Presentes na assembleia do SIMTED, os vereadores Paulinho Roberto (PT), Farid Afif (MDB) e Otaviano Cardoso (PSDB) declararam imediato e irrestrito apoio a reivindicação da classe.

Edivaldo Vieira, presidente do SIMTED deve solicitar o uso da tribuna nesta terça-feira, 08 para solicitar apoio amplo dos demais vereadores para defender a luta pela valorização prática da Educação.

Ato na próxima sexta-feira, 11

O SIMTED deve promover na próxima sexta-feira, 11, uma grande mobilização que deve contar uma nova Assembleia Geral as 8h da manhã seguido de um ato público em frente à prefeitura de Ponta Porã.

Pressão

Logo após a deliberação por greve, o Presidente do SIMTED concedeu entrevista ao jornalista Markon Machado, onde foi questionado por possível pressão que alguns agentes possivelmente possam implementar aos trabalhadores, principalmente os convocados. Edivaldo antecipou que a greve é um direito de todos os professores e supostas e possíveis ameaças de demissão a professores grevistas não podem ocorrer.

“O direito à greve é constitucional, para efetivos e convocados, se surgirem rumores de que professores contratados possam ser demitidos por aderirem a greve, os mesmos devem procurar o SIMTED, que interpelará judicialmente o agente que promove a ameaça e assegurará o direito do servidor”. _afirma Edivaldo.

O sindicalista acredita que pelo menos 80% dos trabalhadores devem aderir à greve.

Fonte Markon Machado

Comentário

Comentário

Veja Também

DIRETOR DA EDUCADORA FM DE PONTA PORÃ E HOMENAGEADO COM A COMENDA “FRONTEIRA DE ECONOMIA”

O Diretor da emissora de Rádio Educadora FM de Ponta Porã no estado do Mato ...