segunda-feira , 21 maio 2018
Home / Destaque / CAOS NO SISTEMA DE SAÚDE EM PONTA PORÃ EVIDÊNCIA FALTA DE PREPARO DA ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL

CAOS NO SISTEMA DE SAÚDE EM PONTA PORÃ EVIDÊNCIA FALTA DE PREPARO DA ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL

Sistema de atendimento a saúde em Ponta Porã evidência falta de preparo de funcionários e autoridades para administrar atendimento à população.

O sistema de saúde de Ponta Porã nos últimos dias vem recebendo uma avalanche de criticas pelo péssimo atendimento dado pelos funcionários aos que procuram atendimento, uma das denuncias foi realizada nas redes sociais, contra o Centro Regional de Especialidade Dr. João Kayatt, onde o professor José Augusto, manifestou que precisou de emergência um atendimento oftalmológico por ter tido uma hemorragia na retina por ser diabético, pra quem não sabe uma hemorragia na retina e igual a perder a visão completamente por inundar a retina com sangue e o paciente passa a ver simplesmente nada com essa vista.

O professor José Augusto, diz “procurei o Centro com encaminhamento para um exame de fundo de olho por ser diabético, o Dr Ricardo solicita um mapeamento da retina, vou marcar o exame, me é dito que provavelmente no dia de São nunca A central reguladora retornará, pela que resolvo  fazer o exame com recursos próprios devido a urgência do exame, no dia 03/5/2018,  amanheço  com a visão  completamente bloqueada de sangue, procuro o Centro João kayatt, pela manhã sou avisado que somente as 13hs teria atendimento, ao chegar explico à atendente o que se passa, me pede para esperar, após 40 minutos ela me fala o Dr Alberto disse que não tem problema, que você pode ficar assim até o Dr Ricardo voltar de viagem semana que vem” conta Jose Augusto.

O professor reclama que o medico sem ao menos ver e conversar ou pelo menos olhar os exames foi dispensado ate que outro medico volte a atender.

“Procurei esse Centro por ser o único espaço oftalmológico a dar assistência pelo SUS (Sistema Único de Saúde)  ou municipal e sou atendido , ou melhor nem fui atendido, sou descartado sem atendimento como se uma hemorragia na retina fosse nada”.

O professor indignado pergunta, “onde está sendo empregado meus impostos, o dinheiro que é retirado do meu holerite, o meu IPTU, IPVA, ISS, os impostos embutidos nos alimentos nos combustíveis, os fins, confins e outros, como um cidadão um trabalhador precisa de atendimento de emergência  quando de repente da noite para o dia perde a visão e lhe é  dito, não é  nada não, se quiser espera semana que vem”.

Indignado com a situação o professor manifesta “esse é o Brasil que eu não quero para meus netos, esse é o município que eu escolhi para viver, senhores vereadores, senhor prefeito não foi este o prometido para a população” indicando ao atual prefeito Hélio Peluffo Filho (PSDB) de estar olvidando de suas promessas de campanha eleitoral.

A direção da secretaria municipal de saúde não se manifestou a respeito da reclamação e nem se o mesmo será atendido pelo sistema de saúde do município administrado pelo alcaide Hélio Peluffo Filho, que tem enfrentado uma serie de criticas, mas este sem se preocupar em dar satisfação aos moradores de Ponta Porã, que o elegeram acreditando nas suas propostas de campanha política, cujas propostas após mais de um ano na administração municipal o mesmo não consegue desenvolver a fim de um mínimo beneficio a população, situação que pode dar frutos amargos ao alcaide nas próximas eleições.

Comentário

Comentário

Veja Também

PRF APREENDE MAIS DE DUAS TONELADAS DE DROGAS PRÓXIMO A FRONTEIRA COM O PARAGUAI

Policia Rodoviária Federal apreende caminhão baú transportando mais de duas toneladas de drogas no Mato ...