domingo , 27 maio 2018
Home / Destaque / AUTORIDADES BRASILEIRAS PREOCUPADAS COM CURSO DE MEDICINA OFERECIDO POR UNIVERSIDADE NA FRONTEIRA

AUTORIDADES BRASILEIRAS PREOCUPADAS COM CURSO DE MEDICINA OFERECIDO POR UNIVERSIDADE NA FRONTEIRA

Todos nós em algum momento de nossas vidas já precisamos recorrer a atendimento médico e até os mais leigos devem concordar o quão o corpo humano é genuinamente complexo, baseando nisso, sabemos a dificuldade em estuda-lo.

É comum um estudante de medicina ao longo de seus 6 exaustivos anos de estudos ser reprovado em alguma matéria, até normal, o que não pode acontecer é uma faculdade aparentemente respeitada, não ter critérios sérios para avaliar seus alunos. A principal queixa em questão seria que, em uma prova final os temas foram sorteados por meio de um jogo de azar, onde uns tem sorte e outros não. Foi exatamente isso que aconteceu com os alunos do quinto ano da UP (Universidade del Pacifico) segundo apura a investigação jornalistica.

As regras da faculdade também são questionáveis por vários motivos, dentre eles estão: Mudança repentina no contrato e coação a alunos que se negassem assinar esse novo documento ficariam impossibilitados de fazer os exames parciais.  Mudanças no sistema de avaliação. Perguntas de provas mal elaboradas, (obs: os alunos não tem o direito de pedir revisão de prova, já que a mesma foi oral e fica a palavra do aluno contra a do examinador), imperícia e falta de ética de alguns avaliadores, onde beneficiam alguns e prejudicam outros. Ou seja, o universitário fica sem direito de reclamar porque os doutores fazem questão de lembrar que eles serão novamente avaliados, é um tipo de: `Fica esperto` .Essa sensação de impotência é constante.

A revolta dos alunos é maior por que além de perderem um ano, ainda não terão aulas dignas dessa perda, segundo eles as aulas são rápidas onde só se leem slides, falta didática e ainda tem doutores que dão entre meia hora a quarenta minutos de intervalos (para que a faculdade não desconte seus salários), além de aulas práticas no hospital de mentirinha, com carimbos, assinaturas, datas e temas tudo de mentirinha na maioria das vezes. Vale lembrar que teve doutores que carimbaram caderninhos de práticas sem ter dado uma aula sequer.

Uma das exigências da faculdade é a presença nas aulas, o que seria cômico se não fosse trágico porque tem doutores ocupadíssimo que não fazem chamada, mas também quase não dão aulas, mas tem doutores excelentíssimos que dão aulas corretamente, fazem chamada, reprovam alunos por faltas (que um dia – NO estan habilitados por asistência al Examen Final Ordinário – e no outro, estão na sala fazendo prova). Nas seguintes matérias: Semiologia Medica, Farmacologia e Oftalmologia e Otorrinolaringologia.  São coisas absurdas onde percebemos que as regras não se aplicam a todos.

“Então com tudo isso ainda vem uma pessoa e diz que a Universidad del pacifico é a que mais tem médicos revalidados!  Para esses eu respondo : MEDCURSO , não faz não para ver” diz um universitário que prefere manter o anonimato a fim de evitar represalias.

Em entrevista a este órgão de imprensa um aluno que também prefere o anonimato manifestou:

Não basta estudar o ano todo e tirar boas notas, você também tem que ter sorte no sorteio dos temas e sorte nas perguntas da mesa examinadora, você passa horas sentado no chão do corredor da faculdade esperando sua vez e mais horas dentro da sala com uma folha em branco, folha essa que após ser colocado um resumo do conteúdo sorteado não e’ aceito para uma futura revisão de prova, fica a palavra do doutor contra a palavra do aluno. Indignados com essa situação vários companheiros meus foram em diversas faculdades em todo território paraguaio no intento de conseguir transferência, mas para a nossa surpresa a grade curricular da Pacífico é muito inferior em relação as outras faculdades, ou seja, alunos que estariam indo para o quarto e quinto ano teria que recursar várias horas de matérias desde o primeiro ano, perdendo dois ou mais anos. Um exemplo dentre os vários de carga horária insuficiente seria na matéria de Dermatologia 36 horas de aula, onde outra faculdade essa carga seria o dobro. Pela vigência do antigo contrato nos ainda teríamos direito de fazer outra prova, chegamos a contratar um advogado, mas não obtivemos sucesso mesmo o novo contrato contendo várias falhas e brechas. Eu fico triste com tudo isso porque eu sempre acreditei que estudava na melhor faculdade de medicina de Pedro Juan Caballero, mas infelizmente me enganei”. Lamenta o aluno.

Uma funcionária da Pacifico numa infeliz tentativa de justificar atos abusivos e aterrorizar outros alunos postou em um grupo de alunos da UP a seguinte frase:

Todos aquellos que no tienem aptitudes y actitudes de médicos no pueden llegar a la final en la UP y eso es lo que causa eso tipo de reaccion”.

Fica a pergunta, “aptitudes y actitudes” de médico seria aceitar as mazelas da faculdade e ficar calado? Ou seria mais uma matéria para reprovar alunos injustificadamente, e os conhecimentos em medicina entra onde em “aptitudes ou actitudes”? Então os alunos que chegam ao quarto e quinto ano não possuem mérito algum se contraria os interesses da faculdade?

Em suma, todos os fatos relatados pelos universitários seguem documentados e no poder desse veículo de imprensa que tentou por diversas vezes entrar em contato com o responsável pela UP, mas não obtivemos êxitos.

Comentário

Comentário

Veja Também

FALTA DE CONSCIENTIZAÇÃO PODE AGRAVAR CASOS DE CHIKUNGUNYA NA FRONTEIRA

Brote de Chikungunya e falta de conscientização da população assusta autoridades médicas da cidade paraguaia ...