quinta-feira , 14 dezembro 2017
Home / Destaque / PERITOS CRIMINAIS CELEBRAM O DIA DO SENTIDO DE VERDADE DOS FATOS E JUSTIÇA NO MATO GROSSO DO SUL

PERITOS CRIMINAIS CELEBRAM O DIA DO SENTIDO DE VERDADE DOS FATOS E JUSTIÇA NO MATO GROSSO DO SUL

No dia 4 de dezembro os sentidos de verdade dos fatos e justiça precisam ser ressaltados porque é uma data que celebra o Dia do Perito Criminal.

Tanto a verdade como a justiça são sempre exigidas de vítimas de violência, tanto de trânsito como das que são roubadas ou de familiares que perdem parentes por conta de homicídio. A garantia que a verdade vai prevalecer e será possível se fazer justiça, na área criminal, passa pelo trabalho de um profissional que é o perito criminal.

Por lei, no que determina o Código de Processo Penal, a perícia precisa ser acionada pela autoridade policial logo que ocorre a prática de uma infração.

A lei especifica que existem os peritos oficiais, categoria composta por peritos criminais e peritos médicos legistas. Os peritos, que podem ser formados em diferentes áreas como engenharias, biologia, física, geografia, química, ciências da computação, ciências contábeis, medicina entre outras, aplicam os conhecimentos científicos para combater a violência.

Esses procedimentos começam a partir da análise da cena de um crime, onde pode ser desvendado diversos fatores, inclusive alguns que levam ao suspeito de cometer o ato. Como exemplo dessa aplicação do conhecimento técnico-científico para as chamadas ciências criminais está a técnica usada a partir de procedimentos químicos que garantem a identificação de onde há sangue, muitas vezes não notado a olho nu.

É também o perito que vai comparar o que foi coletado e fazer teste de DNA, que permite a identificação tanto da vítima como do criminoso.

Em um acidente de trânsito, a posição dos veículos envolvidos na colisão, a forma como as vítimas são encontradas, entre outros fatores, permitem, a partir de cálculos matemáticos, precisar velocidade, descrição de como se deu a batida e garantir que provas sejam levantadas para instruir o juiz que vai julgar o caso no futuro.

Além disso, a perícia atua de forma conjunta com outras forças de segurança pública. E a investigação depende dessas provas materiais que os peritos conseguem obter.

Os peritos criminais em Mato Grosso do Sul atuam pela Coordenadoria-geral de Perícias, órgão vinculado à Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública.

Sem material que comprova o que aconteceu e atestam quem eram as pessoas que tiveram envolvimento no crime, a verdade dos fatos e a justiça não conseguem ser praticadas.

Para abranger todo o Estado, há divisão em regionais (10), além de unidades em Campo Grande como o Instituto de Análises Laboratoriais Forenses (Ialf), Instituto de Criminalística Hercílio Macerallo, Instituto de Medicina e Odontologia Legal (Imol) e o Instituto de Identificação.

Particularmente, uma Unidade Regional de Perícia e Identificação tem trabalho importante para combater a violência que ocorre na fronteira do Brasil com Paraguai.

Os peritos criminais da URPI de Pontã Porã atendem não só o município, como também Antonio João, Amambai, Colonel Sapucaia, Paranhos, Sete Quedas e Tacuru. Parte dessas cidades sofrem adversidades e estão inseridas na estatística de cidades mais violentas do país, conforme o Fórum de Segurança Pública.

Os levantamentos para identificação de veículos com notificação de roubo ou furto, apuração sobre mortes violentas, disparos de arma de fogo, perícia para extração de dados de celulares e documentoscopia (para verificar falsificações de documentos variados) estão entre os principais trabalhos desenvolvidos na unidade de Ponta Porã.

Comentário

Comentário

Veja Também

PRF APREENDE CARGA DE CIGARRO NA FRONTEIRA COM O PARAGUAI

Policia Rodoviária Federal apreende carga de cigarro sendo transportado em veiculo com os faróis apagados ...

Deixe uma resposta