quinta-feira , 14 dezembro 2017
Home / Destaque / UNIVERSITARIOS RECLAMAM DE DISCRIMINAÇÃO NA HORA DE ACEDER AO CURSO DE MEDICINA NA UNINORTE

UNIVERSITARIOS RECLAMAM DE DISCRIMINAÇÃO NA HORA DE ACEDER AO CURSO DE MEDICINA NA UNINORTE

Denuncias contra faculdade UNINORTE na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero coloca em duvida seriedade da instituição na fronteira.

Varias denuncias de venda de lugar na fila oara aceder ao curso de medicina na UNINORTE coloca em evidencia a falta de seriedade da instituição na fronteira com Ponta Porã, onde foram colocadas a principio 200 vagas e após a intervenção policial mais 58 vagas.

A principio e que só conseguiram uma vaga no curso de medicina, aqueles que tem poder econômico, já que funcionários com ordem do diretor teriam cada uma 50 vagas que foram negociadas pelo valor de 1500 reais a 3000 mil reais a cada estudante.

De 1500 reais a 2000 mil reais teriam preferencia em ser colocados na frente de outros na hora de realizar a inscrição, já os que teriam pago 2500 a 3000 reais tinham a inscrição garantida no curso de medicina, os preços estes seriam apenas para conseguir um lugar no curso de medicina, pois posteriormente teriam que pagar a inscrição e possivelmente a primeira parcela do curso, a situação deixou vários estudantes brasileiros indignados, já que estes teriam chegado na madrugada de segunda feira e formaram filas, mas posteriormente ficaram sabendo que outros estudantes que teriam pago a “taxa” tinham lugar preferencial para aceder ao curso de medicina.

A situação chegou a sair do controle e agentes da Policia Nacional do Paraguai de Pedro Juan Caballero, chegou a intervir a fim de apaziguar os ânimos e fez com que a faculdade ofereça mais 58 vagas, evidenciando que a faculdade não aceita em suas salas de aula estudantes que não tenham um poder aquisitivo alto, sendo assim a faculdade estaria cometendo o crime de selecionar os estudantes em seu curso de medicina, o que acarrearia em uma discriminação contra as pessoas.

Varias conversas foram gravadas onde funcionários da instituição manifestavam claramente que a ordem de vender as vagas foi ordenada pelo diretor da instituição que não foi encontrado já que supostamente estaria de férias, mas a discriminação contra estudantes que pretendiam aceder ao curso esteve presente nos pequenos acampamentos realizados nas calçadas próxima a Faculdade UNINORTE na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero na fronteira com Ponta Porã.

Comentário

Comentário

Veja Também

PRF APREENDE CARGA DE CIGARRO NA FRONTEIRA COM O PARAGUAI

Policia Rodoviária Federal apreende carga de cigarro sendo transportado em veiculo com os faróis apagados ...

Deixe uma resposta